BANNER WEB - 728x90px - ESTADO SOLIDARIO.png

ITUBERÁ - Prefeitura realiza Feira de Arte e Cultura e projeto Agosto da Leitura até domingo (13/08)


Mais uma Feira de Arte e Cultura vai acontecer nos dias 12 e 13 de agosto na Praça da Juventude, em Ituberá. Muita literatura, artesanato, roda de conversa. Um programação para toda família.


Paralelo a Feira de Arte e Cultura, o município também realiza a 5ª edição do projeto Agosto da Leitura, que teve início nesta terça-feira (09) e vai até o dia 13 de agosto. A programação especial para o público infanto-juvenil inclui mediação de leitura, contação de história e oficinas criativas com a equipe da BIBEX - Biblioteca de Extensão (Fundação Pedro Calmon).


A realização é da Prefeitura Municipal de Ituberá, através da Superintendência Municipal de Cultura. E conta com o apoio do GLICAM – Grupo de Pesquisa em Linguagens, Culturas e Ambientes (Ifbaiano) e ABPAGI.

Conferia a programação completa


MESAS DE DIÁLOGO LITERÁRIO E LANÇAMENTO DE LIVROS

Data: 12/08/2022

Local: Praça da Juventude

Horário: 08h00 às 10h00


Mesa I - Tema: Produção literária local e regional: balanços, desafios e perspectivas


Síntese da proposta da mesa: A literatura local e regional, seja ela cientifica ou ficcional, tem importância central na conformação das nossas identidades, do entendimento das nossas problemáticas e potencialidades. Contudo, sabemos o quanto é difícil produzir e difundir conteúdo literário nesses contextos, por isso propomos essa mesa de dialogo, para pensar e debater a produção literária no âmbito local e regional.


Autores:

Antonio dos Santos Leite: Morador na comunidade Rural Boa Esperança, município de Igraiúna. Agricultor. Poeta, escritor e autor do livro A Mulher e a Flor.


Celeste Maria de Queiroz Martinez: Nasceu no dia 30/03/63 na cidade de Valença, Bahia. Mestranda em Ciências Ambientais e Pós-graduada em Meio Ambiente e Agroecologia pelo IF Baiano. Graduada em Pedagogia pela UNEB. Produtora do Projeto Itinerante “Faz-se Filmes”, 2014 e do Curso de Cinema para Jovens de Escola Pública em Valença, 2016. Participante das Antologias Valenciando (2005), Rio de Letras (2010) e às Margens Férteis do rio Uma (2018). Idealizadora, produtora e apresentadora do Sarau Alacazum palavras para entreter online. Poeta, cronista, contista.


Fabricio Nascimento Cruz: Pedagogo pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Mestre em Desenvolvimento e Gestão Social pela Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia (UFBA), autor do livro “O futuro chegou, e agora?”, participou da coletânea Brados Baianos, Diretor Executivo da Atairu – Gestão & Inovação Social.


Ingra Danielle Português: Ingra Danielle nascida em Ruy Barbosa, formada em teologia, com dois livros lançados, e muitos outros escritos.


Taata Sobodê (Jefferson): Originário do Território Guerém em Valença, Taata Kisaba Bantu Indígena do Caxuté. Versador, extrativista e Educador Popular. Coordenador Territorial da Antologia Poética Bardos Baianos Baixo Sul. Autor e co-autor de diversos capítulos em livros científicos e poéticos. Pós-Graduado em Estado e Direito dos Povos e Comunidades Tradicionais. Mestre Em Educação do Campo. Doutorando em Desenvolvimento Rural pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Pesquisador do Grupo de Pesquisa “Docência, Currículo e Formação” vinculado ao Centro de Formação de Professores da UFRB. Membro do Fórum de Educação do Campo do Baixo Sul.


Mediadora

Juscimare Souza: Mestranda em Literatura e Cultura (UFBA). Graduada em Licenciatura Plena em Letras Vernáculas pela FACE (2010). Secretária executiva do Instituto Cultural Euzedir e Araken Vaz Galvão - ICEA. Membra da Academia Valenciana de Educação, Letras e Artes - AVELA. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Literaturas, Culturas e Ambientes (GLICAM) IFBAIANO/Valença, atua na linha de pesquisa Literatura e Cultura do Baixo Sul da Bahia, investigando as produções literárias do escritor baiano Araken Vaz Galvão.

Data: 12/08/2022

Local: Praça da Juventude

Horário: 10h00 as 11h30


Mesa II - Tema: Literatura no universo das mídias/redes sociais: Booktubers e Instapoetas como fenômenos de formação de leitores.


Síntese da proposta da mesa: Se antes a poesia era um gênero literário presente apenas nos livros, hoje ela pode ser encontrada na tela do celular. Isso porque jovens autores, conhecidos como “instapoetas”, têm usado o Instagram para compartilhar seus sentimentos. Exploram de forma criativa temas como amor, decepção, saudade e autoestima, conquistam milhões de seguidores. De igual modo os Booktubers, conceito forjado para designar os amantes do livro e da leitura que utilizam seus canais no Youtube para resenhar e fazer indicação de livros, despertando o prazer pela leitura e inspirando novos escritores.


Autor:

Edgard Abbehusen: Escritor e compositor baiano que se utiliza de mídias online para compartilhar seu trabalho com o público. Falando sobre dramas da vida real, o autor já publicou os livros “Acredite na sua capacidade de superar” 2020, “O que tiver de ser, amar” 2019 e “Quem tem como me amar não me perde em nada” 2018.


Mediador:

Alenilson dos Santos: Morador da comunidade da Prainha II - Ituberá, filho de agricultor familiar e uma empregada doméstica e marisqueira. Jovem periférico, fruto da escola pública e resultante de políticas públicas reparatórias, militante do Movimento Negro Unificado, Bacharel em Comunicação Social - Relações Públicas pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Ex-Conselheiro Tutelar, Agente político e Superintendente Municipal de Juventude de Ituberá.

Data: 12/08/2022

Local: Praça da Juventude

Horário: 14h00 às 15h30


Mesa III - Tema: O Baixo Sul sob múltiplos olhares: Território, cultura, (des)envolvimento, educação e identidades


Síntese da proposta da mesa: “O território não é apenas o conjunto dos sistemas naturais e de sistemas de coisas superpostas. O território tem que ser entendido como o território usado, não o território em si. O território usado é o chão mais a identidade. A identidade é o sentimento de pertencer àquilo que nos pertence. O território é o fundamento do trabalho, o lugar da residência, das trocas materiais e espirituais e do exercício da vida. O território em si não é uma categoria de análise em disciplinas históricas, como a Geografia. É o território usado que é uma categoria de análise”. O texto que acabei de ler é de autoria do geografo Milton Santos, e esta presente no artigo “O dinheiro e o território”, publicado na Revista GEOgraphia, em 1999.


Foi a partir da analise das problemáticas históricas ou contemporâneas concernentes ao Território do Baixo Sul que os organizadores e colaboradores dos livros: “Baixo Sul da Bahia: território, educação e identidades” e “Território, cultura e (des)envolvimento: no Baixo Sul da Bahia”, ambos publicados em 2021, produziram suas reflexões presentes nos textos que compõem os livros.


Pesquisar, problematizar e conhecer os problemas e potencialidades do nosso território é de fundamental importância, entre outras coisas, para a construção de politicas públicas direcionadas e estruturantes. Por isso a propositura dessa mesa de diálogo.


Autores:

Célia Maria Pedrosa: Doutora e mestra em Ciências Sociais pelo Programa de Pós Graduação em Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas), com área de concentração “Cidades: Cultura, Trabalho e Políticas Públicas”. Especialista em Sociologia pela PUC-Minas. Graduada em Ciências Sociais pelo Instituto de Ensino Superior e Pesquisa/Universidade Estadual de Minas Gerais (INESP/UEMG) e em Direito pela Faculdade de Direito do Oeste de Mina (FADOM). É membro do Observatório Socio-territorial do Baixo Sul da Bahia (OBSUL) e desenvolve pesquisas sobre políticas urbanas e desenvolvimento regional. É professora de Sociologia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano (IF Baiano), campus Valença.


Eduardo Alvares da Silva Barcelos: Engenheiro Ambiental, Doutor e mestre em Geografia. Professor do curso técnico em Meio Ambiente e do Programa de PósGraduação Latu Sensu em Meio Ambiente e Agroecologia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano (IF Baiano), campus Valença. Integrante do Observatório Socioterritorial do Baixo Sul (Obsul/IFBaiano).


Scyla Pimenta: Mestre em Ciências Sociais pela UFBA (2008) e bacharel em Sociologia pela mesma instituição (2002). Possui especialização em Políticas de Igualdade Racial no Ambiente Escolar, pela UNILAB (2016). Atualmente é servidora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano / campus Valença, onde atua como professora de Sociologia, coordenadora do NEABI (Núcleo de Estudos Afrobrasileiros e Indígenas) e vice coordenadora da Pós-graduação em Relações ÉtnicoRaciais e Cultura Afro-Brasileira na Educação (REAFRO).


Mediador:

Gilson Antunes da Silva: Doutor em Literatura e Cultura e Mestre em Letras (UFBA), Especialista em Língua Portuguesa e Literatura Brasileira (FACCEBA), em Ensino de 4 Língua e Literaturas de Língua Portuguesa (UNIMES), em Teoria da Psicanálise de Orientação Lacaniana (BAHIANA/IPBA), licenciado em Letras (UNEB) e bacharel em Filosofia (UCSal). Professor do IF Baiano (Valença), membro do Grupo de Pesquisa em Linguagens, Culturas e Ambientes (GLICAM) e da Academia Valenciana de Educação, Letras e Artes (AVELA).

Data: 12/08/2022

Local: Praça da Juventude

Horário: 15h40 as 17h10


Mesa VI - Tema: Literatura periférica: nós por nós


Síntese da proposta da mesa: Literatura Periférica, termo cunhado para designar o movimento literário produzido a partir das bordas, nas margens, nas periferias, como forma e proposito de abrir e criar espaços para a periferia se expressar a partir da sua realidade material e simbólica com os seus, para os seus e também os outros. Esse movimento literário ganha força, principalmente, a partir dos anos 2000, mostrando a cultura para além dos centros e dos cânones. Essa mesa tem o proposito de contribuir para o entendimento do que é a literatura periférica, quais suas contribuições para o consumo de literatura e a produção de novos espaços literários.


Autores:

Nelson Maca: Professor de literatura, escritor, poeta e militante do movimento negro. Nasceu no Paraná, mas mora em Salvador desde 1989. É fundador do Coletivo Blackitude: Vozes Negras da Bahia, que realiza o Sarau Bem Black e ações artísticas e de formação sócio-racial através das linguagens da cultura hip hop e afins desde 1999. É o criador do Sarau Bem Black (desde 2009); do infantil Sarau Bem Legal (2009 a 2015); e do Slam Lonan (desde 2016). Lançou quatro livros: Gramática da Ira (poemas, 2015), Go Afrika (poemas, 2019), Guerra Preta ou Bahia Baixa Estação (contos, 2020) e Ani: todos os Felas do mundo (romance, 2021). O último com arte gráfica, capa e ilustrações de Alexandre De Maio (SP). Em parceria com o funkeiro Mano Teko (RJ) produziu a performance Funkesia: Performance de música e poesia.


Mano Teco: Cantor, compositor e ativista. Nascido em Irajá, subúrbio carioca, Mano Teko conta com uma história de 28 anos no Funk. Da dupla de sucesso da década de noventa (Teko & Buzunga) surge um dos Mc´s mais Consciente que temos. Participou da fundação da APAFUNK, responsável direta pela aprovação da lei (2009) que reconhece o Funk enquanto movimento cultural no Rio de Janeiro.


Iniciou a Roda de Funk, Sarau Divergente, Oficina de Mc´s “A Responsa”, como ferramentas de diálogo e formação. Fez Direção Musical do Primeiro programa do gênero na tradicional Rádio Nacional. Produziu o maior evento organizado por uma Galera do Funk, o Baile SpringLove Irajá. Mantendo as práticas, o Mc cria uma produtora conhecida como “Proceder”, que para além das ferramentas citadas, desenvolve projetos musicais, como EPs com outros Mc´s e também produz moda.


O Mano Teko Mc conseguiu criar pontes entre o Funk e várias outras linguagens, como o Rap, a poesia, o Samba, o Ragga e continua fortalecendo a história desse movimento, genuinamente carioca, chamado Funk.


Mediadora:

Viviane Araújo (Pesquisadora, professora e escritora) Educadora na Escola Técnica em Agroecologia Luana Carvalho, Mestranda em Letras.

ATRAÇÕES ARTÍSTICAS E CULTURAIS


Data: 12/08/2022

Local: Praça da Juventude


Bob Wesley – voz e violão

Horário: 18h30 as 20h00

Apresentação cultural:

Chegança de Taperoá

Horário: 20h00 às 20h30


Roda de cordelistas

Horário: 20h30 as 22h00

Local: Praça da Juventude


Cordelistas convidados:

Antonio Carlos de Oliveira Barreto: Professor, poeta e cordelista com vários trabalhos publicados em jornais, revistas e antologias. Publicou dois livros de poesia: “Uns versus Outros e Flores de Umburana”, fez a adaptação do conto de Machado de Assis “A Cartomante” para o cordel, publicou os cordéis ilustrados: “O cravo brigou com a Rosa”, “Atirei o pau no gato”, “Pai Francisco entrou na roda”.


Faz palestras, recitais e oficinas nas escolas, universidades e outras instituições, além de tem participado de colóquios, seminários, congressos e festivais de poesia e eventos culturais na França, Colômbia, Uruguai e Paraguai.


Creuza Caires Meira: Nascida em Dom Basílio, na Bahia, é professora por formação e bancária aposentada. Atualmente reside em Salvador, onde está presente em eventos ligados ao cordel. Possui mais de 40 folhetos publicados e realiza outros trabalhos, a exemplo de publicações de textos em cordel no movimento sindical bancário, movimento das mulheres e outros. Atuou como membro do Conselho do Selo Editorial Castro Alves da Câmara Municipal de Salvador, de 2016 a 2018.


Suely Valeriano: Poeta Cordelista, Contadora de Histórias, Arte Educadora , Brincante e encantada pela vida! Autora de mais de 20 títulos de Literatura de Cordel, Criadora e ministradora do Projeto Cordel na Escola e da Oficina Conta Mais. Levando o Balde de 7 Histórias e o Samburá. Participa de coletâneas e antologias poéticas nacionais e internacionais. Nascida em Salvador, Bem Criada por Ituberá.

Data: 13/08

Local: Praça da Juventude


DJ Osmar e MC Marcelão

Horário: 18h30 às 20h00

Funkesia:

Performance de música e poesia com o poeta baiano Nelson Maca e o funkeiro carioca Mano Teko, acompanhados pelo DJ Gug.

Horário: 20h00 as 22h00


FEIRA DE LIVROS


Data: 12/082022

Horário: 08h00 às 22h00


Data: 13/08/2022

Horário: 19h00 às 22h00

Local: Praça da Juventude


EXPOSIÇÃO DE ARTE COM ZEZINHO PINTOR, JADSON PALMA e RUI BASTOS


Data: 12/082022

Horário: 08h00 às 22h00


Data: 13/08/2022

Horário: 19h00 às 22h00

Local: Praça da Juventude


FEIRA DE ARTE E CULTURA


Data: 12/082022

Horário: 08h00 às 22h00


Data: 13/08/2022

Horário: 19h00 às 22h00

Local: Praça da Juventude





Por Vanessa Andrade - Redação



Siga!
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social
  • Instagram ícone social