Policlínica do Baixo Sul já registra mais de 22 mil atendimentos após sua reabertura


Índice de satisfação dos pacientes ultrapassa os 95%


A Policlínica Regional de Saúde do Baixo Sul, localizada no município de Valença, reiniciou suas atividades dia 1º de agosto, após quatro meses fechada devido a pandemia do coronavírus Covid-19. Até a data de hoje (12/02) já registrou 22.930 procedimentos, sendo 7.586 consultas. No total geral desde a sua inauguração, em junho de 2018, já foram computados 135.247 procedimentos, com uma média acima dos 95% de satisfação dos pacientes, segundo dados da Ouvidoria Geral do Estado.


No momento mais crítico da pandemia, através de uma decisão conjunta entre Estado e prefeituras, a policlínica foi fechada para evitar o grande fluxo de pessoas de municípios diferentes, e consequentemente, o aumento da circulação do vírus. Para reabertura, um plano de contingência foi elaborado, com o apoio da infectocontagiosa Dra. Lorena Zaine, de um representante da Sesab e a participação do conselho consultivo de apoio à gestão do Consórcio Interfederativo de Saúde do Baixo Sul - formado por 13 secretários municipais de saúde da região.


“Temos um plano de contingência em andamento, seguindo todos os protocolos exigidos. Inicialmente, alguns procedimentos não foram ofertados, cumprindo as orientações das sociedades médicas, devido ao risco de contaminação de pacientes e colaboradores. Atualmente, todos os serviços estão disponíveis e os profissionais da unidade já foram vacinados”, explicou Roberto Deway, diretor geral da unidade. Adaptações de fluxos e barreiras também foram feitas, como: triagem de pacientes, cartazes de orientações, instalação de pias na área externa, ônibus rodando com 50% da capacidade e com ar desligado. O uso de EPIs foi adaptado as novas condições epidemiológicas, para evitar a transmissão da Covid-19. A unidade passou a funcionar também aos sábados e em sistema de turnos, sendo cada turno dedicado aos pacientes de um determinado município.

Roberto Deway, diretor geral da unidade, com malote de exames de pacientes do município de Cairu


Com quase três anos de inaugurada, a Policlínica Regional de Valença que possui 2.848,32m² de área construída, com 12 consultórios e uma equipe multiprofissional qualificada, vem batendo metas importantes de satisfação, sempre acima de 95%. A Ouvidoria possui um registro bem pequeno de reclamações e sempre tem ampliado os canais de comunicação. Segundo Deway, sugestões importantes recebidas via Ouvidoria já foram aplicadas, a exemplo da instalação de totens carregador de celular.


“Tínhamos dificuldade de fazer alguns exames aqui em Valença, sendo necessário ir para Salvador ou Itabuna. Agora, graças à Deus, não precisamos mais viajar. Ano passado fiz uma tomografia, sendo muito bem atendido. Agora, retorno para novos exames de revisão a pedido do médico. Valeu muito à pena essa instalação da Policlínica em nossa cidade”, comemora Antônio Carlos. “As policlínicas regionais foi uma estratégia muito bem pensada pelo governo do Estado, que conta com a parceria das prefeituras. Aqui no Baixo Sul, o equipamento melhorou bastante a saúde da população, oferecendo consultas especializadas e exames de média e alta complexidade, muitos inacessíveis na região anteriormente”, ressaltou Deway.

Sidenália Lima, de Igrapiúna, e demais pacientes de variados municípios

Recentemente, o Governo do Estado entregou mais um veículo (modelo Van) para servir a região, o qual deverá atender os pacientes da Ilha de Itaparica. No total já são 8 veículos realizando o transporte de pacientes dos municípios consorciados até a unidade de Valença. “Sempre que preciso tenho agendado consultas e exames. Antes, quando precisava tinha que fazer particular e nem sempre conseguia por falta de condição financeira. A Policlínica melhorou bastante a nossa vida. Gosto daqui e sou sempre bem atendida”, afirmou Sidenália Lima, do município de Igrapiúna.


O Governo do Estado projeta o funcionamento de 25 Policlínicas Regionais em toda a Bahia até o final de 2022. As próximas unidades a serem entregues ficam em Ribeirão do Pombal, Itaberaba, Eunápolis, Brumado, Serrinha, Santa Maria da Vitória, São Francisco do Conde e duas em Salvador .

Municípios consorciados na Policlínica de Valença

Cairu, Camamu, Gandu, Igrapiúna, Itaparica, Ituberá, Nilo, Nova Ibiá, Pirai do Norte, Taperoá, Teolândia, Valença e Wenceslau Guimarães.


Como ter acesso?

Não é possível chegar e ser atendido na Policlínica. Ela atende através de um agendamento feito pelas Secretarias de Saúde dos municípios consorciados. Os resultados dos exames são enviados em malotes lacrados para as secretarias municipais, para a retirada do paciente.


Quais os pacientes que devem ser encaminhados?

A Policlínica está preparada para receber pacientes que não necessitem de cuidado e avaliação imediata do especialista, ou seja, que não precisem de atendimentos de urgência ou emergência. É importante saber que todo paciente encaminhado para a Policlínica deverá permanecer em acompanhamento com a equipe de Atenção Básica ou da equipe de Saúde da Família de seu município.


Micro-ônibus do Consórcio de Saúde circulam pelas cidades, levando os pacientes até a Policlínica Regional de Saúde de Valença. Os atendimentos devem ser agendados antecipadamente pelo município onde o usuário mora.


Entre em contato com a Secretaria Municipal de Saúde da sua cidade para mais informações.



Fonte/fotos (imagens): Vanessa Andrade - V1 Comunicação.

BANNER WEB - 728x90px - ESTADO SOLIDARIO.png
001.jpg
Posts Em Destaque
213273523_209526754388278_45482012108582523_n.jpg
67484017_2357855327663661_331651640815779840_n.jpg
Procurar por Tags
Siga!
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social
  • Instagram ícone social