Ocupação Cultural realizará 1° sarau artístico em formato live neste sábado (20/02)


Neste sábado, dia 20/02, às 16 horas, com transmissão ao vivo pelo Youtube, acontecerá a primeira edição da Ocupação Cultural – Giras de Saberes e Fazeres: Das Águas de Kayala ao Abebê de Yemanjá. Será o primeiro sarau artístico de uma grade de três, envolvendo múltiplas linguagens culturais das comunidades de terreiros e afins. Os demais eventos estão previstos para os dias 13 e 27 do mês de março.


A projeto propõe um diálogo entre comunidades de matrizes africanas e quilombolas, com a participação de lideranças e representantes de dois terreiros do Baixo Sul da Bahia: um de origem Bantu, nação Angola (Nzo Caxuté) e outro de origem Ketu (Ilê Axé Ori Torokê). A programação também inclui diversos artistas convidados, e a participação da poeta Rosane Jovelino, do Terreiro 21 Aldeia de Mar e Terra - Quilombo Kaonge da cidade de Cachoeira, visando fortalecer a aproximação com o território de identidade do Recôncavo Baiano. Tudo isso com transmissão ao vivo pelo Youtube, através do canal da Ocupação Cultural.


O projeto tem o apoio financeiro do Estado da Bahia, através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal.


Saiba mais sobre a Ocupação Cultural

Realizada desde 2009 no Centro de Cultura de Valença, a Ocupação Cultural teve suas atividades presenciais suspensas, por conta do isolamento social, em razão da pandemia causada pelo COVID-19. A partir disso, ela passou a ser realizada no espaço virtual, e realizará neste primeiro semestre de 2021, três saraus artísticos envolvendo múltiplas linguagens culturais das comunidades de terreiros e afins.

Adriano Pereira, idealizador do projeto, que mediará as edições ao lado de Juscimare Souza, registra a satisfação em iniciar mais um ano com uma ocupação tão diversa: “Conseguimos ampliar não apenas no público, mas na temática e com novo formato, demonstrando a diversidade, característica da Ocupação”.


Programação de 20/02, 20/02, às 16 h - Das águas de Kayala ao Abebê de Yemanjá

Mediadores: Adriano Pereira & Juscimare Sousa

Participações:

• Mãe Bárbara de Cajaíba – Mametu Kagurengá – Nzo Caxuté (Valença – Bahia);

• Chico Nascimento – Tata Mangoleji – Nzo Caxuté (Ibirapitanga – Bahia);

• Malandro do Gueto (Igrapiúna – Bahia);

• Rosane Jovelino - Terreiro 21 Aldeia de Mar e Terra - Quilombo Kaonge (Cachoeira – Bahia);

• Liliane Blaston – performer (Valença – Bahia);

• Priscila Prado – vocalista da Banda Afro Reggae (Valença – Bahia);

• Mãe Celidalva de Oyá - Ilê Axé Ori Torokê (Valença – Bahia).

#premiodasartesjorgeportugal

@funceboficial


Biografia dos participantes

· MAMETU KAFURENGÁ, sacerdotisa do terreiro Nzo Caxuté, líder comunitária, pedagoga, poetisa e escritora da obra “A Pedagogia do Terreiro”.

· MÃE CELIDALVA DE OYÁ, do Terreiro Ilê Axé Ori Torokê, em Valença. Celidalva Conceição, iniciada no Candomblé há mais de 40 anos, e recebeu da falecida sogra, mãe Nazi Ozete, a missão de assumir a casa 21 anos atrás.

· TATA KABONDU MANGOLEJI – CHICO NASCIMENTO – Francisco Nascimento é poeta e dramaturgo, Mestre em Ensino e Relações Étnico Raciais; Especialista em Estado e Direito dos Povos e Comunidades Tradicionais; Especialista em Teatro, Arte-educador, como dramaturgo trabalhou com a Cia de Teatro Popular da Bahia; Cia de Teatro Popular do SESI; Cia de Teatro Negro Mário Gusmão de Pau Brasil-BA; Grupo VIVACENA de Valença-BA; Grupo de Teatro Experimental Tienhe Diendê, Valença-BA; NEGRACIARTE DE TEATRO Ibirapitanga-BA; Grupo de Teatro Klassificados Salvador BA, além de ser membro do MTRB Movimento de Teatro de Rua da Bahia e da comunidade Caxuté. Atualmente reside em Ibirapitanga, onde foi Secretário Municipal de Educação.

· ROSANE VIANA JOVELINO, poeta, quilombola da Comunidade Kaonge, Cachoeira – Bahia; membro do Núcleo de Mulheres Quilombolas da Bacia e Vale do Iguape. Integrante do Grupo da Samba Suspiro do Iguape. Autora de PATUÁ, seu primeiro livro Poesia lançado em 2019, na Festa da Ostra, e na Flica - Festa Literária Internacional de Cachoeira. Especialista em Gestão Pública, atualmente vem escrevendo artigos sobre as Comunidades Quilombolas do Vale e Bacia do Iguape. De matriz africana, sua mãe é Yalorixá, zeladora do terreiro fundado pelo avô – Terreiro 21 Aldeia de Mar e Terra.

· PRISCILA LUZ – Cantora e compositora; antes, Prado. Tinha vergonha de assumir o nome por conta da hipocrisia de muitos que queriam obrigá-la a não se aceitar. Certo dia acordou com vontade de gritar: “Sou Priscila Da Luz! Não sou a Prado! Componho samba de roda e músicas românticas. Canto axé com banda Afro Reggae”; baiana, ama as matrizes africanas. É filha, mãe, preta que quer ser aceita na sociedade como nasceu.

· MALANDRO DO GUETO – É cantor e compositor de Igrapiúna. Filiado ao Sindicato dos Músicos de Valença e Baixo Sul, traz em sua caminhada a alegria e irreverência para contagiar o público. Apaixonado pela diversidade da música brasileira, suas referências são o Axé, Forró Elétrico e o Guetto. Em 31 de agosto de 2018 passou a ser presidente representativo dos músicos da cidade de Igrapiúna, pelo Sindicato Regional dos Músicos de Valença e Baixo Sul. Para sua maior surpresa, conheceu Mametu Kafurengá que foi sua madrinha de certificação. Seu primeiro passo de afirmação ainda como indube no Enzol Caxuté foi a construção do Hino do Caxuté que alegra, emociona e contagia a todos. Iniciou no Candomblé em dezembro de 2019, com a Sacerdotisa Mametu Kafurengá. Malandro do Guetto possui um histórico de luta e resistência, de vários anos de serviços sócio cultural e educacional prestados à crianças e adolescentes do município de Igrapiúna (BA), utilizando a capoeira, artes marciais e a percussão, para formar, informar e trocar saberes. Tem nível superior em Educação Física. Diretor do Sindicato dos Artesões de Valença e Baixo Sul e responde pela pasta de Articulador Regional. Habilitado com carteira de Artesão Sicab Ba 0220.0018791.00 pelo Programa do Artesanato Brasileiro do Governo Federal. Contribui com as bases de articulação de arte e cultura do Nzo Caxuté.

· PERFORMER LILIANE BLASTON – Mulher trans, nascida em Valença. Iniciou-se nas artes ainda adolescente dançando no Grupo Afro Filhos da Terra. Foi Miss Gay Valença em 2018, finalista do Miss Gay Bahia em 2020 e Concurso Rainha da Beleza Gay em Salvador. Pertence ao Terreiro do Pai Alex, em Valença.




Informações:

Assessoria de imprensa: Vanessa Andrade – V1 Comunicação

DRT 2197 – Contato: 75 99121-1904

Email: vanessa.cultura.bsul@gmail.com


BANNER WEB - 728x90px - ESTADO SOLIDARIO.png
001.jpg
Posts Em Destaque
213273523_209526754388278_45482012108582523_n.jpg
67484017_2357855327663661_331651640815779840_n.jpg
Procurar por Tags
Siga!
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social
  • Instagram ícone social