BANNER WEB - 728x90px - ESTADO SOLIDARIO.png

Lula prega união em discurso de eleito: ‘A ninguém interessa viver num país dividido’


É hora de baixar as armas que jamais deveriam ser empunhadas', disse o petista, afirmando ainda que irá governar para todos e não só para quem votou em sua chapa.


Presidente eleito com 50,90% dos votos, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pregou a união, na noite deste domingo (30), em seu primeiro discurso após a vitória contra o presidente Jair Bolsonaro (PL).


“A partir de 1° de janeiro de 2023 vou governar para 215 milhões de brasileiros e brasileiras e não apenas para aqueles que votaram em mim. Não existem dois Brasis, somos um único país, um único povo, uma grande nação”, disse o petista, em pronunciamento, em São Paulo.


“Este país precisa de paz e união, esse povo não quer mais brigar, esse povo está cansado de enxergar no outro o inimigo e ser temido ou destruído. É hora de baixar as armas que jamais deveriam ser empunhadas”, acrescentou Lula, segundo o qual a ninguém interessa viver em discórdia.


“É hora de reunir de novo as famílias, refazer o laço de amizades rompidos pela propagação criminosa do ódio. A ninguém interessa viver num país dividido, em permanente estado de guerra”, pontuou o petista, em uma crítica à violência política e ao aumento das armas durante a gestão Bolsonaro.


“Este país precisa de paz e união, esse povo não quer mais brigar, esse povo está cansado de enxergar no outro o inimigo e ser temido ou destruído. É hora de baixar as armas que jamais deveriam ser empunhadas. Armas matam e nós escolhemos a vida”, afirmou.


Em outra crítica dirigida ao bolsonarismo, Lula destacou a necessidade de retomar os símbolos pátrios. “É preciso reconstruir a alma desse país, recuperar a generosidade, a solidariedade, o respeito às diferenças e o amor ao próximo. Trazer de volta a alegria de sermos brasileiros e o orgulho que sempre tivemos do verde e amarelo e da bandeira do nosso país”, disse Lula. “Esse verde e amarelo e essa bandeira não pertencem a ninguém, a não ser ao povo brasileiro”, destacou o presidente eleito, citando ainda como prioridade de sua gestão, o combate à fome e as questões climáticas.



do Bahia.BA

Siga!
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social
  • Instagram ícone social