IBIRAPITANGA - Mulheres baianas são protagonistas na prestação de serviços ambientais


A Secretaria do Meio Ambiente do Estado (Sema) participou, nesta terça e quarta-feira (29 e 30), no Assentamento de Reforma Agrária Dois Riachões, no município de Ibirapitanga, do Encontro Territorial de Mulheres do Campo: “Construindo Saberes, Sabores e Autonomia”. O evento, que encerrou a programação referente ao Março Mulher Rural da SDR/Bahiater2022, teve em pauta temas como o Pagamento de Serviços Ambientais: Mulheres Rurais e a preservação Ambiental; Políticas Inclusivas para Mulheres Rurais; e Alimentação Saudável “Um Ato Político”.


A equipe do Programa Estadual de Pagamento por Serviços Ambientais (PEPSA) da Sema, representada pelas servidoras Luana Ribeiro e Marcelle Chamusca, destacaram em sua apresentação a mulher baiana como protagonista na prestação de serviços ambientais. As técnicas realizaram um levantamento, a partir da análise de iniciativas e projetos de fomento à assistência técnica rural na Bahia e no Brasil nos últimos anos, que apontam para o destacado papel das mulheres na produção de alimentos, na gestão das unidades produtivas familiares, na garantia da soberania alimentar e na preservação da biodiversidade.


“Percebe-se que parte significativa das atividades realizadas pelas mulheres não é reconhecida como trabalho e, portanto, é desconsiderada nas análises econômicas convencionais, ainda que estas atividades sejam produtivas e garantam a segurança alimentar e nutricional das famílias. Por isso, trouxemos os dados do último Relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), divulgado nesse mês, que aponta que as mulheres são mais vulneráveis aos efeitos das mudanças climáticas, que agravam a desigualdades já existentes de gênero dentre elas. O relatório aponta que as mulheres não têm representação suficiente nas negociações climáticas. Com isso, as decisões acabam por não refletir soluções para suas reais necessidades”, destacou Marcelle Chamusca, assessora técnica da Sema.

Luana Ribeiro, coordenadora do PEPSA, apresentou as ações da Sema na Mesa de Debate: Pagamento de Serviços Ambientais: Mulheres Rurais e a preservação Ambiental. “As mulheres têm um papel essencial, de ligação com o território. Elas têm forte carga de trabalho, no campo, na cidade, e são elas que cuidam da família. E ter esse olhar feminino na construção e execução de políticas ambientais é fundamental para criar um cenário mais condizente com a realidade e mais justo para as mulheres. A agroecologia vista aqui no assentamento Dois Riachões não é só agricultura sustentável, sem veneno, é uma construção de melhores relações com a terra e de condições dignas para mulheres e para todos”, enfatizou Luana.

O assentamento Dois Riachões é referência nacional na prestação de serviços ambientais, na produção orgânica e beneficiamento do cacau. “Nós temos aqui uma maioria feminina na liderança na comunidade e partilhamos de uma comunhão muito grande entre homens e mulheres. Todas as decisões são tomadas em conjunto. Homem que bate na mulher aqui não fica. Tem mulheres solteiras aqui que cuidam da terra sozinha, do roçado de 4 hectares de cacau, da produção agroecológica. E no final de semana ainda tem tempo de arrumar o cabelo, colocar uma maquiagem e ir dançar forró”, destacou Mara Silva, da liderança do assentamento.





Fonte: Ascom/Secretaria do Meio Ambiente do Estado (Sema)

Fotos: Divulgação



BANNER WEB - 728x90px - ESTADO SOLIDARIO.png
001.jpg
213273523_209526754388278_45482012108582523_n.jpg
67484017_2357855327663661_331651640815779840_n.jpg
Siga!
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social
  • Instagram ícone social