BANNER WEB - 728x90px - ESTADO SOLIDARIO.png

Em visita à Valença, ACM Neto, adota discurso moderado e conciliador


Pré-candidato ao governo do estado admitiu pontos positivos nos 16 anos de PT na Bahia, mas que em 2022 haverá a oportunidade de mudança de ciclo


A quinta-feira (30/09) foi de atividades intensas na política do Baixo Sul, com a visita de ACM Neto, que começou em Valença, onde o Democrata se encontrou com lideranças políticas, prefeitos, vereadores, e, sobretudo, apoiadores de seu projeto “Bahia Pode Mais”. Foram vários encontros e reuniões, que culminaram com um grande evento realizado na Associação Atlética.


Em seu discurso, ACM Neto lembrou de seu mandato como deputado Federal, por três vezes, quando teve a oportunidade de representar alguns municípios do Baixo Sul, sobretudo Valença, que segundo ele, foi um período que o fez trilhar pelo árduo caminho da política.

Neto defendeu o diálogo e o bom senso, o saber tratar os adversários, respeitar as diferenças, encarar os desafios, pois, segundo ele, na vida, sobretudo quando se governa, o político não faz apenas o que se quer e governar é, acima de tudo, estabelecer prioridades.


“Conheço os prefeitos que aqui estão. Tenho certeza de que todos eles gostariam de estalar os dedos e resolver os problemas de seus habitantes. Isso não é possível. Como também não é possível o governador realizar tudo ao mesmo tempo em todos os lugares”, ponderou, Neto.


O Democrata, que tem adotado uma postura conciliadora, afirmou que o que vai marcar o debate político do próximo ano é um contraste e a comparação entre dois projetos. Segundo Neto, um desses projetos olha para o passado e teve o seu ciclo de vida, referindo-se aos governos de Jacques Wagner e de Rui Costa, lembrando os 16 anos ininterruptos de poder que serão completados em 2022.


O ex-prefeito de Salvador voltou a criticar a política de segurança pública do governo Rui, exemplificando que o estado ocupa a primeira posição em número de mortes violentas. A educação pública também foi criticada por Neto, bem como a saúde, quando ele citou que Valença já deveria ter um hospital regional.


Apesar das críticas, ACM Neto, ponderou o discurso e até admitiu avanços e pontos positivos dos governos petistas no estado. “Não vou simplesmente atirar pedras, levantar críticas. Algumas coisas positivas ocorreram nesse período. E eu tenho honestidade intelectual suficiente para reconhecer. Não quero olhar para o passado, quero olhar para o futuro e essa será a grande comparação e a escolha que os baianos poderão fazer. Iniciar um novo ciclo, começar um momento que enxergue o dia de amanhã e que acredite que a Bahia pode mais, porque eu sei e quero fazer tudo pela Bahia”, ponderou.


Sobre a receptividade em Valença, nesta quinta-feira (30), Neto, disse que foi maravilhoso e agradeceu a oportunidade de vivenciar a confiança das pessoas em seu projeto. “Aqui tem um potencial muito grande e estou com disposição para trabalhar muito no futuro para que o Baixo Sul ajude a impulsionar a construção de uma Bahia bem mais forte”, ressaltou.


A agenda de ACM Neto, no Baixo Sul, continua nesta sexta-feira (1º), em Taperoá, onde terá encontro com lideranças locais; em seguida segue para Nilo Peçanha, onde se reúne com a prefeita democrata Jacqueline Soares e finaliza sua visita em Ituberá, num encontro com o Prefeito Reges Aragão e lideranças, no Restaurante Piaçaba, onde concederá uma Coletiva de Imprensa.


Reportagem: Vanessa Andrade | Marcelo Dutra

Fotos: V1 Comunicação

Siga!
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social
  • Instagram ícone social