top of page
BANNER WEB - 728x90px - ESTADO SOLIDARIO.png

Cairu Sede será palco da celebração dos 200 Anos da Independência do Brasil, nesta quinta (13/07)


A Sede de Cairu será palco, nesta quinta-feira (13), da celebração dos 200 Anos da Independência do Brasil na Bahia. Em Cairu, a rota "Bahia: Memória de Lutas e Liberdade" começará às 8h30, na Praça do Bosque. O evento é uma realização da Fundação Pedro Calmon (FPC), em parceria com a Secult-BA e apoio da Secretaria de Cultura de Cairu.


Confira a programação e participe!

CAIRU NA LUTA DA INDEPENDÊNCIA DA BAHIA


A participação do Município de Cairu na luta pela Independência do Brasil na Bahia foi muito além da importante contribuição com homens, armas e mantimentos para a campanha bélica de libertação nacional.


O Morro de São Paulo assumiu na época um dos papeis de maior relevância durante a guerra naval travada para expulsar o exército português da Cidade do Salvador, entre os meses de maio e julho de 1823.


Como se deu isso?

A primeira esquadra a navegar com a bandeira brasileira, comandada pelo oficial inglês Lord Cochrane, chegou do Rio de Janeiro à Bahia de Todos os Santos em 1º de Maio de 1823, para completar o cerco às tropas portuguesas lotadas em Salvador.


O primeiro combate da esquadra de Lord Cochrane quase terminou em tragédia para a mesma, pois os portugueses tinham o dobro de força numérica. Ao escapar, Cochrane estacionou os navios e organizou o seu núcleo de operações, com depósitos de armas, pólvora e mantimentos no “porto” da Ilha de Tinharé, no Morro de São Paulo, contando com o suporte da Fortaleza do Tapirandu, da infraestrutura local e sua Fonte Grande, como referência no abastecimento de água potável.

A partir dali passou a fustigar e ferir a armada lusitana, conseguindo mantê-la sem ação, bloqueada, na Bahia de Todos os Santos, situação que foi da maior importância para o desfecho da guerra. Os portugueses acabaram sitiados em Salvador sem poder receber mantimentos, munições e armamentos.


Como consequência, os portugueses se viram obrigados a fugir de Salvador passando a ter suas tropas bastante diminuídas nos confrontos com os soldados brasileiros que faziam um cerco por terra para a retomada da Cidade da Bahia, com lutas acontecendo em várias frentes.


Tempos de guerra com a marcante participação de Cairu, a partir do Morro de São Paulo e sua estratégica localização. Daqui partiram centenas de homens para as batalhas e os mantimentos produzidos pelos cairuenses nas lavouras de mandioca, café, cacau, arroz, cana, milho, frutas, a farinha e, ainda, produtos da pesca e da pequena criação de gado. E logo veio o “fim” dos combates no dia 2 de Julho de 1823, quando os brasileiros conseguiram dominar o que restou das tropas portuguesas.


(Adaptado do livro "Tinharé", de Antônio Risério)





Ascom PMCairu

Kommentare


Siga!
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social
  • Instagram ícone social
bottom of page