BANNER WEB - 728x90px - ESTADO SOLIDARIO.png

‘Bombeiro Amigo do Peito’ incentiva a doação de leite materno na capital e interior da Bahia


Em 2022, o Bombeiro Amigo do Peito, projeto de promoção ao aleitamento materno através da doação de leite humano, completa 20 anos. Por meio da iniciativa comandada pelo Corpo de Bombeiros Militar da Bahia (CBMBA), todo o leite doado é analisado, pasteurizado e submetido a um rigoroso controle de qualidade antes de ser oferecido a bebês prematuros ou com mães impossibilitadas de amamentar.


Todas as segundas, terças e quintas-feiras, bombeiros militares vão até as residências das lactantes voluntárias para recolhimento dos kits com o leite materno e entregam novos kits para as próximas coletas. “Promovemos orientações quanto ao manejo em lactação e amamentação e incentivamos essas mães quanto ao uso exclusivo de leite materno de 0 a 6 meses. Dessa forma, ajudamos a reduzir a taxa de mortalidade infantil no nosso estado”, explicou a subtenente Souto, coordenadora do projeto. O leite materno fortalece a imunidade dos bebês e reduz a ocorrência de cólicas, entre outros benefícios.


Em Salvador e Lauro de Freitas, o projeto é realizado por meio do 12º Grupamento de Bombeiros Militar (GBM/Salvar), em parceria com a Maternidade Climério de Oliveira e o Instituto de Perinatologia da Bahia (Iperba). Já em Feira de Santana, a ação é coordenada pelo 2º GBM; e em Itabuna, pelo 4º Grupamento de Bombeiros Militar.

Triagem do leite

O Bombeiro Amigo do Peito ainda conta com as doações de potes de vidro com tampa plástica (tipo os de café solúvel), que podem ser levados a qualquer unidade do Corpo de Bombeiros ou nas maternidades.


Na Climério de Oliveira, o material é aproveitado na própria unidade, de acordo com a recomendação médica e nutricional. “Observamos se o leite veio de fato no estado congelado. Ele não pode estar no estado líquido por se tornar meio de proliferação de bactérias. Fazemos a desinfecção dos frascos, identificação, a data da coleta e o tipo da amostra. Uma amostra é encaminhada para o laboratório fazer análise e comprovar se as doadoras estão aptas”, detalhou a técnica de enfermagem do Banco de Leite Humano da unidade, Sheila Araújo.


Mãe de um bebê de 3 meses, Alana Lago se tornou voluntária após o exemplo de uma amiga. “Eu via sempre uma amiga postando que estava doando leite e me interessei. Eu não queria jogar fora sabendo que tantos bebês precisam. O leite salva vidas e é o melhor alimento que todos os bebês podem ter”, afirmou.

Como ser uma doadora

No mês de março de 2022, o projeto obteve 73 doadoras. No momento, o projeto está precisando de mais lactantes. Mães que quiserem se tornar voluntárias devem ligar para os bancos de leite da maternidade Climério de Oliveira, no número (71) 3283-9264, ou do Iperba, pelo (71) 3103-9304.





Repórter: Lina Magalí

Foto: Elói Corrêa/GOVBA

Siga!
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social
  • Instagram ícone social