Projeto que resgata a Micareta de Valença é apresentado pela Delegacia de Músicos sediada no municíp

Representantes da Delegacia de Músicos do Conselho Regional da Ordem dos Músicos do Brasil (OMB) em Valença, tem se reunido objetivando um resgate do Micareta de Valença - antigo carnaval fora de época, famoso por reunir grandes atrações da música baiana. Na noite de 20/11, eles apresentaram o projeto “Micareta Valença-BA – Salve Salve Mach Five”, previsto para acontecer nos dias 01,02 e 03 de maio de 2020, datas que foram pontuadas pela Prefeitura de Valença. A reunião não contou com representantes da Prefeitura.

Na oportunidade, o músico Jonne Júnior apresentou a OMB para o público presente, instituição fundada em 1960 para representar os músicos brasileiros e falou sobre o projeto de resgate da Micareta de Valença. “A Micareta era famosa em toda a Bahia, queremos resgatá-la com os blocos, bandas locais, incentivar e valorizar os músicos da nossa cidade”, disse, informando ainda, que o evento terá como preposto a empresa Casa Amarela, referência no ramo de eventos na Bahia. “A Casa Amarela estará buscando os recursos junto a Bahiatursa, pois a Prefeitura está com suas certidões negativas”, justificou. De acordo com Jonne, “a Micareta irá incentivar e valorizar o comércio local, com o desenvolvimento socioeconômico contribuindo para a geração de emprego e renda e aquecendo os setores hoteleiros, beneficiando turistas, população e a cultura dos artistas da cidade”.


Promover a Micareta da cidade atraindo diversos foliões com fantasias, blocos, trios elétricos, bandas locais e de fora apresentando a musicalidade baiana, além da oferta turística e gastronômica do município, são objetivos do evento, de acordo com o projeto apresentado. No projeto consta ainda que a Micareta deve atrair um público estimado de 150 mil foliões. Para termos de comparação, a Micareta de Feira de Santana, uma das maiores do Estado atrai um público de 500 a 800 mil foliões. A logística e toda infraestrutura do evento, desde a contratação das bandas via editais, a segurança reforçada com câmaras de reconhecimento facial no circuito também constam do projeto. A Micareta acontecerá no itinerário denominado “Circuito Mach Five”, contará com o Palco Itamar Meireles, cinco trios elétricos, 22 bandas e palco alternativo. O orçamento previsto para a realização da Micareta de Valença é de R$ 300 mil.


O cantor Salomão, representante do Conselho Estadual de Cultura do Estado da Bahia ressaltou a importância da realização da Micareta. “Essa festa não é nossa, é uma festa da sociedade, dos artistas de Valença e que a gente precisa ajudar nesse processo de construção, chamar o povo para perto da gente para fazer com que a coisa aconteça, pois se a gente não se unir, não colocar os nossos esforços, a nossa boa vontade para construir, eu acredito que a gente não vá conseguir fazer nada. Cultura não se faz sozinho, se faz com parceria, com os artistas. Nós precisamos acreditar, precisamos botar os artistas de Valença na rua, precisamos dizer a sociedade valenciana que artista também é um fomentador da economia do município”, afirmou.

Escopeta Oliveira, presidente da Delegacia de Músicos de Valença, relembrou os velhos tempo: “O primeiro ano que toquei foi na Feira Livre, a Micareta de Valença era muito comentada, só perdia para Feira de Santana. Não entendo porque alguém deixou acabar. Só posso pensar que foi por não gostar de cultura, odiar música para tirar uma coisa que era tão bacana para a cidade, um lazer e ao mesmo tempo fomentava a cultura e aquecia a economia local. Faltam atrativos em Valença para trazer o turista, não devemos deixar a nossa cultura morrer na praia”, destacou.

Convidado a se pronunciar, o diretor do Jornal Valença Agora, Vidalto Oiticica, parabenizou a iniciativa dos músicos. “Parabenizo todos vocês por estarem aqui nessa causa nobre que só por ter nascido já é vitoriosa. Todos tem que ter consciência que não vai ser fácil, mas é possível. Depois de muito trabalho, muita caminhada, muito suor, Valença vai agradecer muito a este movimento. Todo mundo vai sorrir porque o pipoqueiro vai vender pipoca, a Itaipava vai vender mais cerveja, o hotel vai ter mais hóspedes. Mas, para chegar a esse patamar vai ser preciso muita luta e persistência”, considerou.

Fotos/fonte:Jornal Valença Agora.

Posts Em Destaque
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2016 - Criado pela Agência Andrade Comunicação e Marketing 

Contate-nos: 75 9 91211904 | 75 9 98317900 | vanessa.cultura.bsul@gmail.com