Governo do Estado inaugura em Nilo Peçanha Centro Público de Economia Solidária do Baixo Sul

Inaugurado nesta quinta-feira em Nilo Peçanha, o equipamento irá prestar assistência técnica a 128 empreendimentos solidários, atuando em 15 municípios da região. Com investimento de aproximadamente R$ 1,6 milhão, o Cesol beneficiará mais de 2600 pessoas.

Viabilizar a prestação de assistência técnica a 128 empreendimentos solidários é o objetivo do Cesol - Centro Público de Economia Solidária, inaugurado nesta quinta-feira (01/08), no município de Nilo Peçanha, no Baixo Sul da Bahia. Construído pelo Governo do Estado, através da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), o Centro recebeu investimento de aproximadamente um R$ 1,6 milhão, e vai atuar em quinze municípios da região, beneficiando diretamente mais de 2.600 pessoas.


Na inauguração, o coordenador-geral da unidade, Fabrício Cruz, destacou o caráter social e inclusivo do modelo de economia solidária: “A economia solidária é popular, da diversidade, inclusão e compromisso ético com a natureza. Resgata os sentidos compartilhados que preconizam a justiça social, que instauram a participação e que fortalecem o ideal democrático, fundamental para a dinâmica das organizações. Ela contribui para a construção de realidades prósperas para diferentes grupos sociais”.

A expectativa é consolidar uma rede de comercialização no Território do Baixo Sul, a partir da implantação de quatro espaços solidários. O secretário estadual do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, Davidson Magalhães, participou da inauguração. Ele falou sobre o apoio da unidade aos pequenos empreendedores: “Temos um conjunto de pessoas que já desenvolvem atividades produtivas, colocam no mercado seus produtos, mas enfrentam diversas dificuldades e obstáculos. O Cesol vem exatamente para dar um suporte a esses empreendimentos na área técnica, de qualificação, de melhoria dos produtos e de facilitar o entendimento do processo de comercialização”.


O secretário destacou ainda que existem duas formas de fazer o enfrentamento ao desemprego: “Uma das formas é trazer grandes investimentos. E mesmo com as dificuldades o governador Rui Costa tem feito isso, inclusive fazendo investimentos públicos. A outra forma é desenvolvermos o empreendedorismo através de crédito (250 milhões direcionados para o microcrédito no governo Rui Costa), e do apoio aos pequenos empreendedores que estão em torno da agricultura familiar e da economia solidária, os quais garantem alimento na mesa e grande parte da geração de emprego e renda”. E anunciou, que em parceria com o Consórcio Intermunicipal da APA do Pratigi (Ciapra) estará organizando feiras da economia solidária, visando incentivar o comércio local.

A Bahia possui 13 centros em funcionamento. Desde 2013, quando foram criados, os centros já atenderam mais de 2 mil empreendimentos, com mais de 10 mil famílias contempladas. Coordenadora do grupo Verde Vida, da Associação de Produtores Rurais do Vale do Piau (Orobó – zona rural de Valença), Neide Lima afirma que a chegada do Cesol do Baixo Sul dá motivação para produzir cada vez mais e melhor: “Vem trazer para nós uma esperança de que os nossos produtos ganharão o mundo nas prateleiras das grandes empresas. Isso nos renova e dá forças, pois queremos fazer cada dia melhor, nos organizando cada vez mais para atendermos as exigências do mercado e chegarmos aos nossos objetivos”.

Prefeito de Igrapiúna e presidente do Ciapra, Leandro Ramos, disse que espera que o Cesol reúna as organizações, os grupos e entidades apoiados pelo Governo do Estado, via editais. “Esse espaço vai representar a união de tudo isso. Ele vai proporcionar identidade, visibilidade e comercialização para os produtos do Baixo Sul”, ressaltou o prefeito Leandro Ramos. Também presente à inauguração, a deputada estadual Olívia Santana, disse que foi uma grata satisfação participar deste momento de fomento à economia regional. “O Cesol tem uma grande equipe técnica que vai auxiliar os empreendimentos solidários. Desejo que eles otimizem esses recursos, que tenham zelo com o investimento que o Governo do Estado está fazendo aqui porque nós lutamos por políticas públicas e quem as recebe tem o dever de cuidar”, disse a deputada.

Também prestigiaram a inauguração, o superintendente estadual de Economia Solidária e Cooperativismo, Milton Barbosa, integrantes de empreendimentos solidários, de entidades diversas, prefeitos, vereadores e secretários municipais da região. O grupo de Zambiapunga de Nilo Peçanha celebrou as boas novas encantando o público com uma linda apresentação.

Luta em prol da cultura do Guaraná


Sobre o potencial de produção de guaraná no Baixo Sul, o secretário Davidson Magalhães lembrou de um projeto de sua autoria, enquanto deputado federal, que tratava de um Centro de Vocação Tecnológica para tratar da cadeia produtiva do guaraná no Baixo Sul. “Temos o maior produtor de guaraná do mundo aqui na região e as pessoas ainda acham que o maior produtor é o Amazonas. Não temos aqui uma agregação de valor à produção do guaraná. Uma iniciativa nossa que foi impossibilitada devido aos cortes do Governo Federal, mas iremos insistir nessa iniciativa através dessa articulação com os agentes produtivos da região, com os municípios e com a Secretaria de Ciência e Tecnologia. Quem sabe poderemos abrir uma nova perspectiva na agregação de valor ao guaraná”, disse o titular da Setre.

Fotos: V1 Comunicação – Vanessa Andrade.

Fontes: V1 Comunicação, Setre BA e Portal do Pratigi.



Posts Em Destaque
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2016 - Criado pela Agência Andrade Comunicação e Marketing 

Contate-nos: 75 9 91211904 | 75 9 98317900 | vanessa.cultura.bsul@gmail.com